Logomarca
quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Uma redução média de 78% na utilização de antibióticos

Uma redução média de 78% na utilização de antibióticos

A Nanta consegue uma redução média de 78% na utilização de antibióticos

O compromisso da Nanta com a sustentabilidade das produções pecuárias, ficou patente no seu projeto Nutrição sustentável, iniciado em 2016. Em virtude do mesmo, e após a sua adesão à iniciativa REDUCE do Plano Nacional de Resistências a Antibióticos, a empresa lidera a mudança para produções mais responsáveis e sustentáveis, através da comunicação e formação dada aos seus clientes, produtores e veterinários, de forma a conseguir, entre outros, diminuir a utilização de antibióticos nas suas produções.

Foram várias as ações levadas a cabo pela Nanta neste sentido, publicando em www.nutricionsostenible.com infografias destinadas à melhor compreensão por parte dos produtores e veterinários do “El compromiso Reduce”, assim como sobre os objetivos REDUCE em geral e para cada uma das principais espécies de abate: coelhos, borregos e cabritos, vitelos, porcos e aves.

 

 

Um projeto em movimento e que já obteve importantes resultados

Fruto desta iniciativa de adesão voluntária por parte das explorações às quais a Nanta presta serviço, os números de redução conseguidos no período 2016-2019 foram excelentes:

Redução de 78 por cento do uso de antibióticos em todas as espécies:

  • 95 porcento em aves
  • 82 porcento em ovinos
  • 77 porcento em porcos e bovinos
  • 69 porcento em coelhos 

Além disso conseguiu-se reduzir em 100 por cento o uso de colistina e em 60 por cento o de óxido de zinco, resumindo a maioria dos antibióticos utilizados ( 84%) aos de categoria D (“Usar com prudência”: antibióticos que podem ser usados de forma prudente, evitando o seu uso desnecessário, em tratamentos longos e / ou em grupo).

A Nanta incentiva veterinários e produtores a juntarem-se e a avançar no compromisso REDUCE e recorda os cinco pilares base e gerais na luta contra a resistência aos antibióticos:

  • Incorporar um correto programa de alimentação.
  • Analisar os programas de vacinação e desparasitação.
  • Dispor de boas instalações.
  • Garantir o bem-estar animal.
  • Incluir planos de formação em matéria de biossegurança.

Junte-se ao REDUCE: www.nutricionsostenible.com